Navegue para frente para acessar os resultados sugeridos

    Conselhos de Superhost para receber hóspedes LGBTQIA+

    As novidades de junho do Conselho Consultivo de Anfitriões trazem dicas para você ser um anfitrião mais inclusivo.
    Por Airbnb em 21 de jun. de 2021
    Leitura de 4 minutos
    Atualizado em 14 de jun. de 2022

    Destaques

    Todos os meses, compartilhamos as últimas novidades do Conselho Consultivo de Anfitriões e ajudamos você a conhecer seus membros.

    Olá, pessoal!

    Sou Peter Kwan, Superhost de São Francisco e membro do Conselho Consultivo de Anfitriões. Desde que me tornei anfitrião há quase 10 anos, defendo a comunidade de anfitriões — incluindo grupos que são muitas vezes negligenciados socialmente, como idosos e membros da comunidade LGBTQIA+.

    Em homenagem ao Orgulho LGBTQIA+, participei do evento "Anfitriões (queer) fazem acontecer" do Airbnb no início deste mês. Foi uma discussão animada, com um grupo de líderes de anfitriões queer que falaram como nós, anfitriões LGBTQIA+, contribuímos para o sucesso do Airbnb em tornar o sentimento de pertencimento uma realidade.

    Abaixo, você pode descobrir como ajudar os hóspedes LGBTQIA+ a se sentirem mais seguros em seu espaço, além de conferir como fui beneficiado ao me envolver com minha comunidade de anfitriões local.

    Como se tornar um anfitrião mais inclusivo

    Eu incentivo os anfitriões, do jeito que se sentirem mais confortáveis, a dizer na descrição do anúncio que a casa deles é um espaço seguro para hóspedes LGBTQIA+. Em São Francisco, é comum vermos casais do mesmo sexo andando na rua de mãos dadas. Mas, para muitos hóspedes que vêm de países com outras normas ou regras sociais, fornecer essa informação sobre o contexto local pode dar mais segurança e tranquilidade.

    Se um anfitrião puder informar aos hóspedes que eles não estão apenas viajando para uma cidade segura, mas que também estão indo para uma casa segura, isso pode fazer uma grande diferença para a paz de espírito dos viajantes. Antes de tocar a campainha, os hóspedes devem saber que serão recebidos de braços abertos com seu parceiro ou parceira do mesmo sexo: essa acolhida é consistente com a missão do Airbnb de ajudar as pessoas a se sentirem em casa, em qualquer lugar do mundo.

    Conheço anfitriões LGBTQIA+ em São Francisco que têm uma foto da acomodação anunciada com uma bandeira do arco-íris no canto, com uma descrição que fala sobre a identidade e o tipo de ativismo em que estão engajados.

    Você também pode fazer coisas estratégicas para ajudar os hóspedes LGBTQIA+ a ficarem mais confortáveis assim que chegarem, como oferecer guias com atrações queer na cidade e livros sobre a história LGBTQIA+. Isso faz uma grande diferença em ajudar os hóspedes a se sentirem mais acolhidos.

    Como encontrar apoio na sua comunidade local

    Depois de me tornar anfitrião, percebi que não havia muitos lugares onde encontrar respostas para todas as minhas perguntas.

    Criei um grupo de apoio à comunidade de anfitriões em 2012, e nos encontramos todos os meses desde então.

    Hospedar pode ser uma atividade muito solitária, então, meu conselho para novos anfitriões é participar de um clube de anfitriões local — ou começar um, caso ainda não exista em sua região. Em vez de aprender como ser um ótimo anfitrião pelo método da tentativa e erro, você pode aprender com as experiências de outras pessoas — e ainda fazer ótimas amizades.

    É muito gratificante ajudar outros anfitriões, tanto em termos do básico de hospedagem, como a navegação pela plataforma, quanto convidar membros da equipe do Airbnb para explicar novos produtos e discutir mudanças regulatórias em nossas reuniões do clube de anfitriões.

    Por que também defendo os anfitriões idosos

    Os idosos geralmente não são considerados um grupo relevante quando as pessoas falam sobre inclusão e diversidade na comunidade de anfitriões — só que eles, na verdade, demandam toda a nossa atenção.

    Eu aprendi que, no Airbnb, os idosos são um dos grupos de novos anfitriões que mais cresce nos EUA. Além disso, as mulheres idosas nos EUA estão quase sempre entre os anfitriões mais bem avaliados.*

    Uma das coisas que quero fazer como membro do Conselho Consultivo de Anfitriões é aumentar a relevância dos idosos e ajudar a garantir que, quando o Airbnb trabalha em um produto, está pensando em nós.

    Uma das minhas maiores alegrias recentes é um subgrupo que formei para anfitriões idosos chamado Golden Hosts. Já tenho meu cartão da Associação Americana de Pessoas Aposentadas (American Association of Retired Persons, AARP): quando você se qualifica para ser membro da AARP, você já pode participar do Golden Hosts.

    O grupo Golden Hosts está crescendo e nele estão alguns dos meus membros favoritos da comunidade de anfitriões atualmente. Antes da COVID-19, organizávamos um jantar mensal do grupo na casa de um dos membros. Foi uma fase incrível.

    No clube, os idosos ensinam uns aos outros sobre a arte de hospedar. Como qualquer outro grupo, eles podem ser rápidos em aprender sobre tecnologia e os muitos avanços digitais que mudam nossas vidas, ou podem precisar de um treinamento ou ajuda específica, tornando sua educação mais eficaz.

    Últimas ações do Conselho Consultivo de Anfitriões

    Saiba mais sobre o que o Conselho Consultivo de Anfitriões está fazendo e fique por dentro das novidades e dicas mensais dos membros do conselho.

    *De acordo com o relatório do Airbnb "Airbnb’s Growing Community of 60+ Women Hosts" ("A crescente comunidade de anfitriãs acima de 60 anos no Airbnb", em português)
    As informações presentes neste artigo podem ter mudado desde a publicação.

    Destaques

    Airbnb
    21 de jun. de 2021
    Essa informação foi útil?